sexta-feira, agosto 31, 2007

SEM Abrigo - Um olhar sobre a vida



Durante a semana compreendida entre 5 e 12 de Agosto, um pequeno grupo, constituído por mim, pela Mariana, o Leonel, a Rita, a Sandra, a Amélia, o Filipe, o Diogo, a Gabriela Caetano, a Marta, a Guida e o Pe. João, teve a oportunidade de colaborar com a Comunidade Vida e Paz, cuja sede se encontra em Lisboa, sob o tema “Deus viu que era bom”, e, deste modo, conhecer a realidade dos sem-abrigo, dando um pouco de nós a pessoas que vivem à beira da tristeza e do esquecimento e que necessitam tanto de carinho como de alimentos.
Além de todas as actividades ligadas à Comunidade Vida e Paz, tivémos ainda a possibilidade de estar com as crianças da Obra do Nazareno, instituição que abriga crianças com uma situação familiar muito instável e prejudicial ao seu crescimento, que nos acolheu de braços abertos.

Ao longo dos dias em que cooperámos com a C.V.P., fomos realizando diversas tarefas, como a preparação das sandes, destinadas aos sem-abrigo que iríamos encontrar à noite nas voltas das carrinhas da Comunidade; a cooperação na cozinha, onde a D. Luzia nos mostrou o verdadeiro sentido da palavra “serviço”; a presença no Espaço Aberto ao Diálogo; ou ainda o contacto com os sem-abrigo em processo, cuja história de vida íamos conhecendo e a quem tentávamos levar alguma esperança.
A participação nas voltas das carrinhas da CVP foi uma experiência inesquecível, já que nos permitiu um crescimento interior inigualável, como cidadãos e cristãos, pois pudemos aprender com os voluntários e a sua determinação e pudemos ainda conhecer as experiências de vida de cada sem-abrigo, assim como a sua (sobre)vida.
Na Obra do Nazareno, a experiência foi igualmente marcante e única, pois pudemos ensinar às crianças que Deus é um grande amigo de todos nós e que rezar é algo muito positivo e também porque foi possível estabelecer uma boa relação com estas crianças que, apesar de terem tido uma vida marcada pela negligência, falta de atenção e carência de afecto, se mostraram como quaisquer outras crianças que precisam de amor, estabilidade, educação e de um ambiente de alegria.
Como a Rita disse, esta experiência foi um autêntico «2 em 1», mas, apesar de todo o cansaço destes dias, só podemos agradecer a Deus todas as pessoas que encontrámos: as crianças e a sua ingenuidade, as pessoas que constituem uma família para elas e que trabalham diariamente pela Obra do Nazareno, e os membros da Direcção, os funcionários e os voluntários da Comunidade Vida e Paz, porque eles conseguem dar, todos os dias, a vida e a paz.

Concluindo, podemos dizer que nesta semana de experiência missionária, o rosto de Cristo marcou a sua presença, não só na face daqueles que iam surgindo nas ruas de Lisboa e com quem pudemos contactar, mas também na expressão de todas as pessoas que ousaram mudar de vida ou apenas começar a viver, não esquecendo todas as crianças da Obra do Nazareno, que vão ficar sempre no nosso coração.




2 comentários:

Jacinta disse...

Que fixe, gostava de ter ido, mas prontoS fica pro ano...

Jornal da Família disse...

visite:
www.ojornaldafamilia.blogspot.com