sexta-feira, Novembro 09, 2012

"Cresçamos em tudo até Cristo"

“Vivendo com autenticidade o amor, cresçamos em tudo até Cristo.”
 (Efesios 4, 15).

No dia 9 de Outubro, vésperas da Festa do nosso Fundador São Daniel Comboni, celebrámos a nossa entrada oficial no postulantado das Irmãs Missionárias Combonianas, Pie Madri della Nigrizia, na capela da comunidade de Granada (Espanha).

Acompanharam-nos fisicamente as irmãs que compõe a comunidade formativa, Ir.Palmira e Ir.Cidália (e Mari Luz em espírito), a provincial Ir.Ida Colombo, algumas irmãs da comunidade de Madrid (Ir.Sílvia, Ir.Omaira e Ir.Pino) e dois combonianos (Padre Ángel e Irmão Pablo). Em espírito sentimo-nos acompanhadas por todas as irmãs da Congregação, assim como por todos os nossos familiares e amigos.

Foi uma cerimónia simples e bonita. Nela acolhemos as palavras de Jesus que nos pergunta: Que buscais? e que nos convida a ir a sua casa e a ver, sentindo que, este convite espelha parte do que é a experiência do postulantado. Elegemos como lema para este início, uma frase de São Paulo que está na carta aos Efésios, que nos chama a viver com autenticidade o amor de Jesus para, em tudo, crescermos até Ele. Entendemos que, não se pode viver como cristãos sem nos enraizarmos na autenticidade desse amor que se configura na nossa historia vocacional e que queremos que seja o fundamento do nosso sentir comunitário. Tudo o que explicitamos anteriormente, podemos resumir com uma expressão de Sao Daniel Comboni: Com os olhos fixos em Jesus, amando-lo ternamente. É assim como pretendemos caminhar nesta etapa da nossa vida, com tudo aquilo que somos posto à disposição de Deus e da Missão.



Como símbolos elegemos uns olhos, umas mãos e um coração. Enquanto leéis, parai um instante. Fechai os vossos olhos, elevai as vossas mãos ao céu e senti o palpitar de vosso coração. Olhos, mãos e coração...Para quê? Os olhos, fixos em Cristo, para vê-Lo e para contemplar o mundo como Ele o fez. As mãos para dar e acolher, para orar e trabalhar, para abraçar todas as realidades que cruzam o nosso caminho. O coração apaixonado, batendo ao ritmo do amor por aqueles que estão mais sedentos de Deus.

Para começar a comover as nossas entranhas diante de um mistério de amor tão grande como é o da Cruz, recebemos uma cruz missionária, com as cores dos cinco continentes. Estas também nos recordam que, a nossa vocação é a missão ad gentes, de anúncio a todos os que ainda não conhecem a Cristo.

Terminamos cantando com Maria, nossa Mãe, Alma Misionera e convidamos todos a unirem-se a nós, com uma só voz e cantar:
Llévame donde los pueblos
necesiten tus palabras, 
necesiten, tus ganas de vivir. 
Donde falte la esperanza, 
donde falte la alegría, 
simplemente, por no saber de ti. 

Ah!! Depois da celebração partilhamos um jantar delicioso (com a sala muito bonita) sendo esta a cereja em cima do bolo, nesta noite de festa.

Esperamo-vos em Granada para podermos partilhar a alegria que vivemos.

E que São Daniel Comboni interceda sempre por todos nós.

Até qualquer dia.

Joana e Bea 

quarta-feira, Agosto 08, 2012

Ecos da Semp'abrir 2012 - Pedro N.

Boa noite Fé-Miguit@s, aqui vos deixo o testemunho do nosso amigo Pedro Nascimento, que participou na Semp'abrir, Caminhada Jovem a Fátima dos Missionários Combonianos, deste ano.
Entre os dias 24 a 28 de Julho realizou-se a 7ª peregrinação a Fátima organizada pelos missionários combonianos a Fátima. Da Azambuja partiram cerca de 80 jovens na sua maioria portugueses mas também oriundos de Espanha, Inglaterra e Itália; de Coimbra outro grupo de 20 jovens, todos com o intuito de se encontrarem em Fátima nesta peregrinação rumo ao Senhor e a Sua Mãe, recordando sempre São Daniel Comboni.
Poderia ter sido mais uma caminhada, mas não foi. Poderia ter sido uma aventura irracional, mas não foi. Foi um percurso com Deus, com Cristo. Como refere a música muitas vezes entoada ao longo da peregrinação: Cristo está comigo. Junto a mim vai o Senhor. Me acompanha sempre; em minha vida até ao fim.
Percorrer um caminho tão longo poderia ser considerado por muitos como uma loucura, com um desperdício de energias. Para outros, Cristo não pede determinados sacrifícios como caminhar até Fátima. A verdade, contudo, é que foi o próprio Cristo quem nos deu forças para caminhar, foi o próprio Cristo que nos levou muitas vezes ao colo e nos reconfortou. Foi para isso que caminhámos, para acolher a Cristo no meio de nós. Como exortou no passado o saudoso padre Ivo do Vale: “deixai Cristo entrar nas vossas vidas. Ele leva convosco a vossa cruz e é capaz de dar sentido aos vossos sonhos. Ele quer ver-vos felizes.”
Foi a oração a nossa grande companheira. Citando Santa Teresa de Jesus, “ oração é diálogo de amizade, é estar muitas vezes em diálogo a sós com quem sabemos que nos ama.”

Também preciosa ajuda foi encontrar Cristo nos irmãos, foi encontrar o Deus da entreajuda no outro que caminhando a nosso lado nos incentivava a não desistir, a seguir em frente, a ter coragem e não desanimar. Como refere São João, quem diz que ama a Deus mas odeia o seu irmão é mentiroso (1Jo 4,20). E nós fomos tão verdadeiros na ajuda, no apoio, na amizade. Amámos de facto a Deus.
É importante nunca esquecer que contámos com a ajuda de uma equipa de apoio que muito nos auxiliou e que prontamente nos distribuía a alimentação, nos acompanhava, nos tratava dos desgastes físicos. Assim sendo o corpo estava sempre alimentado.
Mas o maior alimento, aquele alimento que realmente nos alimentou foi o próprio Jesus. Seguindo as palavras do Senhor, “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não mais terá fome e quem crê em mim jamais terá sede” (Jo 6,36). Celebrando a Eucaristia todos os dias pudemos sentir e escutar Deus através da Palavra e Comunhão.
É verdade que os nossos dias começavam bem cedo, por volta das 3 da manhã. Mas também é verdade o que nos diz o Sl 119,117, “de manhã cedo imploro o teu auxilio e espero na tua Palavra”. Como foi bom louvar o Senhor pela madrugada, pela aurora, pela manhã, pelo almoço, pela tarde, pela noite e, talvez, alguns, pelos sonhos.
As dores, as bolhas, o cansaço atingiram-nos, tal como o cristo flagelado atingiu o nosso Deus. A fé e a certeza de que não estávamos sós guiaram-nos contra as pedras que estavam no caminho, contra as nossas fraquezas, tal como a divindade de Deus superou a morte da cruz.
E eis que chegámos a Fátima! Nos poucos quilómetros que nos faltavam, quando a cansaço nos deveria dominar era a alegria que mandava em nós. Cantando e louvando ao Senhor certamente foi uma alegria contagiante contemplar estes jovens peregrinos que da maneira mais bela chegaram a Fátima.
Parafraseando o beato Rafael Arnaíz, “ com Jesus e Maria a meu lado, tudo posso.”
Depois de os jovens que vieram da Azambuja e os jovens que vieram de Coimbra se encontrarem e juntarem, todos, em comunhão fomos até à capelinha das aparições rezar junto de Nossa Senhora. Como nos disse o nosso bem-aventurado São Daniel Comboni, “não podemos temer nunca quando temos uma mãe poderosa e amorosa que vela por nós”.
A peregrinação terminou Sábado, em festa, com a peregrinação anual comboniana em Fátima. De todo o país a família de Comboni veio até Fátima para junto de Maria, mãe de Jesus e nossa mãe e por intercessão de São Daniel Comboni todos louvássemos o Senhor.
Foi uma festa linda digna somente de Deus!
Termino com algo muito importante que até agora não referi porque quero que ao terminardes de ler este texto levais tal frase no coração. O lema da nossa peregrinação foi e é “ vem, vê, vive e vai em missão!”
Pedro Nascimento 


terça-feira, Julho 03, 2012

Missão + '12


Fé-Miguit@s, a SEC (Semana de Encontro Com...) mudou de nome, agora chama-se MISSÃO +!

O propósito deste encontro, contudo, mantém-se o mesmo de sempre: Viver uma experiência missionária, de comunidade, de compromisso e fé!

De 4 a 12 de Agosto, em Camarate, Lisboa.
Vem, Vê, Vive e Faz-Te Missão!


Inscreve-te:
ir.Beta
913482373

Se tiveres questões ou quiseres saber mais informações deixa aqui um comentário ou envia um e-mail para a Irmã Beta ;)

terça-feira, Junho 12, 2012

Semp'abrir 2012 - Caminhada Jovem a Fátima


Vem aí mais uma Semp'abrir, a Caminhada Jovem a Fátima com partida em Coimbra e na Azambuja! Desta vez com o tema "VEM, VÊ, VIVE! VAI EM MISSÃO!"

Ao longo de 90 quilómetros, percorridos a pé, redescobrem-se e aprofundam-se as metas da vida e encontram-se melhores maneiras de a viver em plenitude. Passo a passo, lado a lado… contemplando a beleza da natureza e da vida, sentindo a alegria do encontro com o Criador, connosco, com os outros e com a missão. Partilha-se o medo, o cansaço, a força e a alegria; dá-se largas à entreajuda e solidariedade. E Fátima deixa de ser apenas o ponto de chegada para ser compromisso do novo nas nossas vidas!

Partida: 24 Julho
Fim: 28 Julho

O que é preciso trazer?
- Roupa leve e confortável
- Itens de higiene pessoal (de preferência de tamanhos reduzidos)

- 40€ para ajuda nas despesas (tudo incluído)
- Saco de cama

- colete reflector, lanterna pequena, cajado

- Se souberes tocar um instrumento musical, traz (não vais ter que o carregar ;) )

No dia 28 Julho, convidam-se todos os familiares para a missa e o almoço partilhado em Fátima

Inscrições: Até 15 de Julho por carta, telefone, e-mail, sms, para um dos contactos disponibilizados no cartaz (Pe. Leonel Claro e Irmão Neto).

Coragem, atreve-te a participar!


sexta-feira, Abril 20, 2012

Tão felizes com tão pouco

Porque um sorriso tem o poder de iluminar o dia de qualquer um, partilho este video com vocês fémiguit@s :)

terça-feira, Abril 03, 2012

Encontro de Jovens - "Alegres Sempre no Senhor"

Olá fé-miguit@s!
Para quem desejar um encontro de oração e reflexão, durante este fim de semana, e mais com algumas actividades pelo meio, as Irmãs Missionárias Combonianas convidam-nos a participar no encontro de Jovens no Porto. Um fim de semana que vai valer pela diferença!

Ainda podes participar no Dia Diocesano da Juventude com o grupo!

Para te inscreveres, contacta a Ir. Beta, por telefone ou e-mail:
913482373
betalmendra@gmail.com

sexta-feira, Março 16, 2012

Ser cristão é louco!

Ser cristão é louco ...

Tudo começa por uma eleição/escolha de Deus. Assim fez Deus com muitas pessoas na Bíblia, assim fez Comboni com as primeiras irmãs que foram com ele para a África. Cinco mulheres jovens que, em 1877, partiram nesta aventura e eleição de Deus. Um continente inóspito, seguindo um homem que tinha um grande desejo, um sonho e um Deus que nem sempre falou de forma clara, não parece loucura?

Nós diríamos: Que coragem!, mas na realidade é tudo obra de Deus. Ele escolhe as coisas pequenas e simples. E foi suficiente o seu Sim para fazer grandes coisas com um punhado de mulheres e homens. Como escreve São Paulo na primeira carta aos Coríntios, "Deus escolheu os loucos para confundir os fortes". Fazendo-nos entender que a verdadeira força não vem de nós mesmos, mas de Deus.

Com os olhos do mundo, os cristãos "somos loucos" porque ...

  • acreditamos em "alguém" que não vemos com os nossos olhos, não tocamos com as nossas mãos, não ouvimos com os nossos ouvidos;

  • acreditamos em "alguém" que outros têm testemunhado e muitos nem sequer o conheceram;

  • acreditamos em um pobre, um sem certeza, que vagando foi prontamente seguido por pescadores, ladrões, pessoas pobres e simples;

  • acreditamos em quem testemunha o amor para todos, sem distinção e para essas pessoas foi marginalizado, não acreditado, cobrado e morto;

  • acreditamos em "alguém" que tenha "fracassado";

  • acreditamos em um homem morto na cruz, a morte mais humilhante;

  • acreditamos em testemunhas que escolheram morrer e dar a vida por este crucificado;

  • acreditamos em um homem que afirmava ser o Filho de Deus.

Apesar disto, eu acredito em Jesus. E talvez eu seja louca, porque:

  • Eu acredito em "alguém" que não experimento com os sentidos, mas com o coração;
  • Eu acredito em "alguém" que não tem certezas materiais, mas tem uma força interior que impulsiona;

  • Eu não acredito em falha humana, mas na plenitude de Deus;

  • E acreditando que depois da cruz há ressurreição, eu percebi que a vida é melhor, porque alimentada por uma presença que é a alegria e força, vontade e propósito, preenche as lacunas que outros bens não conseguem preencher.

Giusi, Postulante Comboniana

terça-feira, Março 06, 2012

Encontro Vocacional em Granada - "Palante, palante" em Missão!

Olá amigos!

Nos passados dias 17, 18 e 19 de Fevereiro houve o Encontro Vocacional em Granada, organizado pelas Irmãs Missionárias Combonianas.

Pois bem, foi aceitando este desafio que três jovens cheias de energia, alegria e curiosidade partiram para Granada juntamente com uma Comboniana que se diz louca, mas feliz (Aqueles que a conhecem, já sabem a quem me estou a referir). Fiquei então de vos escrever um pouco sobre este encontro, para que talvez, desperte em vocês a curiosidade, e aceitem também o desafio no próximo ano.

Antes de mais, tenho a dizer que viajar com a Irmã Beta, com a Joana Carneiro e com a Mariana Correia, por si só, já valeu a pena. Acho importante falar da viagem visto que uma considerável parte deste nosso Encontro deu-se exactamente dentro de um carro, por estradas portuguesas e espanholas. Desde a relação magnífica entre o GPS e a Joana, que nos punha sempre “Fora de Rota” (o tradicional mapa continua a ser tão mais simples e fiável), desde o senhor que nos ensinou que uma rotunda é uma praça giratória e que nos indicou o caminho como sendo “Pa’lante, pa’lante”, até às orações e terços que rezamos pelo caminho, passando pelos momentos de convívio, partilhas e gargalhadas.


Em Granada as Irmãs receberam-nos de braços abertos. Conhecemos a postulante, Giusi. Com elas partilhámos momentos, orações, aprendemos, mas sobretudo recebemos aquele Amor de Cristo, e a contagiante paixão de Comboni por África e pela missão.

Um ponto que marcou muito o nosso encontro foi a história das primeiras Irmãs Combonianas, que a nossa querida Irmã Palmira nos deu a conhecer. Em especial a história de Giuseppa Scandola, Maria Bollezoli e Teresa Grigolini. A história de cada uma destas mulheres, a sua paixão e entrega a Deus, a “ousadia” com que aceitam e envergam a sua vocação despertou em mim uma profunda admiração. Elas são o verdadeiro exemplo do amor pela missão para qualquer uma de nós.

Tivemos também a oportunidade de por os nossos nomes ao lado dos nomes dos apóstolos de Jesus, para percebermos que tal como a eles, Jesus também nos convida a partir e a ser reflexo da sua luz.

Estava agora a reler as folhinhas das orações e das reflexões, que nos foram dadas pelas irmãs, e encontrei duas frases da Irmã Grigolini, que decidi partilhar convosco:

“Amemos o Senhor, soframos por Ele se podemos, estejamos atentos a socorre-lo na pessoa dos pobres.”

“Não tenhas medo, porque o Senhor não deixa nunca sucumbir aqueles que ama.”




O tempo foi curto e sem dúvida que passou mais depressa do que nós queríamos, mas todos os minutos foram bem aproveitados. Teria que escrever um texto de 5 páginas (senão mais) para vos contar todas as aventuras desta viagem, todos os momentos hilariantes, tudo o que vivemos, aprendemos e partilhámos, já para não falar nas magníficas refeições que a Irmã Sílvia e a Irmã Cidália nos preparavam, e quão bem a Mariana ficava de avental. :D

“Nada acontece por acaso”, e este encontro fortificou muitos laços, laços entre estas 3 mosqueteiras e a D’Artagnan que atravessaram Portugal e Espanha com a alegria de Deus; laços com Ele próprio.

Obrigada.

Boa Quaresma.

Mélanie Costa


P.S: Não resisti a partilhar a preciosidade da Mariana a dançar ao som do senhor do violino, em pela Avenida da Constituição (se nao me engano) em Granada.