segunda-feira, abril 23, 2007

Para reflectir...


“Há alguns anos, nas olimpíadas especiais de Seattle, nove participantes, todos com deficiência mental, alinharam para a largada da corrida dos 100 metros. Ao sinal, todos partiram, não exactamente em disparada, mas com vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e ganhar. Um dos garotos tropeçou no asfalto, caiu e começou a chorar. Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo e olharam para trás. Então viram e voltaram. Todos eles. Uma das meninas com Síndrome de Down ajoelhou, deu um beijo no garoto e disse:
- Pronto, agora vai sarar!
E todos os nove atletas deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada.
O estádio inteiro levantou-se e os aplausos duraram muitos minutos…
Talvez os atletas fossem deficientes mentais…Mas com certeza, não eram deficientes espirituais…
Isto porque, lá no fundo, todos nós sabemos que o que importa nesta vida, mais do que ganhar sozinho é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique diminuir os nossos passos…”

(Cruzada Julho2006)

4 comentários:

Pescador disse...

Ia a escrever, "sem comentários", mas acho que posso dizer:

Mas que grande demonstração de amor!

Abraços!

Maria João disse...

Este post é muito bom. Diz tudo. Para quê tanta competição neste mundo? Só o Amor nos leva a ser felizes. É pena que ainda haja tantas pessoas que não vêem ou têm medo de ver esta verdade universal.
Rezemos por elas. E rezemos por nós que já vemos e vivemos esta realidade. Afinal, como diz S. Paulo, ninguém pense que já está salvo. Devemos rezar para que a nódoa não caia no melhor pano.

Madalena disse...

Minha linda, por se ser diferente não quer dizer que não se tenha sentimentos. :)

Mil beijos,
Mada.
fm-sul.

Pescador disse...

Com isto, vem-me outro pensamento à cabeça.

Acho que quanto mais simples e inocentes formos, melhor sabemos dar amor aos outros. Sem artimanhas nem interesses. É amor puro a 100%.

Não sei se me fiz entender :P

Maria João,

a nódoa está sempre pronta a cair. E quando menos esperamos, já temos o pano cheio de nódoas. Há que ser vigilante! ;)

Abraços!