quinta-feira, outubro 25, 2007

Poema por Darfur


Mostrai a vossa solidariedade

Ao chegar a casa esta noite deparei-me com uma carta escrita à mão (são muito poucas as que recebo!!!) vinda de Rio Tinto:
"Contactado pelo grupo juvenil da escola secundária do Corim – águas santas – Maia, foi-me pedido, por uma das jovens, para fazer um poema referente à causa. Como não o vieram buscar e não tendo o contacto tomo a liberdade de o enviar pelo correio."

Américo F. G. Santos

PS: Espero que agrade

“Fé e Missão” deambulando por aí
Pedindo p’ra quem tem necessidade.
Abri os vossos corações como eu abri
Mostrai a vossa solidariedade.

No mundo de hoje quem se consome
Com o mal que vai p’lo mundo fora?
Tanta gente morrendo de fome:
Continua o sofrimento, nada melhora.

Se todos quisessem não haveria fome,
Bastava repartir um pouco do que têm.
Seriam retribuídos, Deus não dorme,
E melhor lugar teriam no além.

Sejamos rectos como o rei Artur,
Vede quanto fez no seu reinado:
Socorramos o povo do Darfur,
Não o deixemos morrer esfomeado


Afergosantos

Obrigado Américo.
Claro que agrada.
Continue com essa chama e entusiasmo pelo Darfur.

2 comentários:

Jacinta disse...

Este poema tá muito fixe, obrigada!

Um abraço de todos nós*

Liliana disse...

um Poema realmente muito bonito**