sábado, novembro 04, 2006

O sol


Eu gostava de trazer nesta noite até aqui o sol.
O sol é fonte de vida.
De manhã quando o sol nasce temos a certeza de mais um dia. Com o dia, conseguimos ver melhor, indo mais além.
A mim, enche-me de alegria e energia! Mexe com o meu eu.
Ao longo deste dia pude concluir que nem sempre sou tão atenta como gostaria a toda a natureza. Tenho dificuldade em relacionar-me com todas as criaturas. Fiz sempre a opção pela pessoa. Esforço-me para que a minha vida gire em torno dela. Hoje apercebi-me que tenho que tentar mudar, ser mais atenta e preocupada, não apenas com o humano, mas com tudo. Tudo foi criado para nós. É preciso cuidado e atenção.
Pensei no quão importante são estes amigos, reunidos comigo, em oração, nesta noite, porque me permitem parar e reflectir acerca da possibilidade de construir algo de novo na minha vida.
Em cada um dos seus gestos sente-se delicadeza.
Ajuda-me Senhor a ser mais corajosa.
Ámen.

Mª Madalena Vieira

2 comentários:

Joana Carneiro (fm sul) disse...

O Sol é obra divina como o é, aliás, toda a Natureza que temos o privilégio de contemplar: o zumbir dos insectos, as ondas do mar, o desabrochar da flor...

Como poderemos nós ser tão egoístas ao ponto de contribuirmos para destruir o divino, impedindo que outras pessoas também o possam desfrutar, o possam escutar...

Ajuda-me Senhor em cada dia, em cada acção concreta a proteger esta Natureza com a qual eu sei que não poderei viver...
Que eu possa dar um pouco mais de tempo ao que Tu com tanto amor criaste para nós...

Joana (fmsul) disse...

O Sol é um dos muitos dons com que fomos agraciados por Deus, tal como o zumbir dos insectos, o uivar do vento, o bater das ondas...

Que direito temos nós de destruir o divino? De impedir que outros seres disfrutem da mesma alegria de contemplar, de escutar a Natureza?

Senhor que este sol que me aquece todos os dias seja para mim sempre uma lembrança concreta de que é preciso agir com força e coragem para preservar a Natureza da qual faço parte e, sem a qual, nunca poderia existir.